Trabalho Em Altura: NR-35 Em Todas As Obras E Indústrias

Trabalho Em Altura: NR-35 Em Todas As Obras E Indústrias

O trabalho em altura é algo bastante comum dentro das construções civis, sendo assim considerada qualquer atividade feita a partir de 2 metros de altura e com risco de queda.

Mas, para evitar problemáticas desse tipo existe a NR-35! Essa norma discorre sobre a importância de habilitações, treinamentos e medidas de proteção.

Ou seja, é uma regra que regula esse tipo de atividade a fim de evitar acidentes e fatalidades aos profissionais atuantes.

Portanto, neste artigo iremos falar sobre a NR-35 e como ela pode reduzir os riscos e oferecer segurança. Então, continue lendo e descubra como cuidar melhor de seus colaboradores!

Importância Da NR-35 No Trabalho Em Altura

Importância Da NR-35 No Trabalho Em AlturaTodo tipo de serviço que é realizado acima de 2 metros de altura, considerando a base principal do terreno, e que ofereça risco de queda será considerado trabalho em altura.

Dentro das construções civis vemos inúmeras tarefas sendo realizadas dessa forma. Por isso, é importante sempre presar pela segurança dos colaboradores.

Afinal de contas, os acidentes e fatalidades tem dois pontos negativos, um deles ao caixa da empresa e outro a própria vida do trabalhador!

Então, a NR-35 surge como uma solução que garante segurança mantendo qualidade tanto de vida, quanto na execução do serviço.

Sua aplicação deve ser cumprida por empregador e trabalhador. Ou seja, ambos devem respeitar os procedimentos pré-determinados nesta norma.

Como é de suma importância que haja treinamentos e habilitação, abaixo irei mostrar a responsabilidade de cada um nessa situação.

Empregador:

Suas responsabilidades são as mais importantes, já que o empregador precisa conhecer tudo sobre a norma para informar e se certificar de seu cumprimento.

Além disso, é ele o responsável por garantir a segurança através da compra de equipamentos, por exemplo. Confira abaixo suas obrigações:

  • Capacitação: ele quem deve cuidar do treinamento e habilitação dos profissionais tanto no início, quanto sempre que for preciso treinar a equipe novamente;
  • Adoção das medidas: após desenvolver os procedimentos operacionais de acordo com a rotina do trabalho em altura, o empregador deve garantir as emissões de permissão de trabalho e a realização periódica da análise de risco. Bem como, só iniciar as atividades depois de adotar todas essas medidas;
  • Monitoramento: o empregador deve implementar as medidas de proteção e segurança estabelecidas pela NR-35 e atualizar seus empregados sobre informações dessa norma incluindo medidas de controle e risco. O empregador ainda é responsável pela suspensão do trabalho sempre que apresentado algum risco não previsto.

Trabalhador:

Trabalhador nr35 - Garcias EngenhariaPor ser aquele que mais sofre riscos no trabalho em altura, o trabalhador deve seguir todas as medidas recomendadas.

Desse modo, ele precisa não apenas fazer como também, prestar atenção ao treinamento. A carga horária mínima deve sempre ser de 8 horas com certificação, no mínimo.

Basicamente o colaborador deve conhecer seus deveres e responsabilidades para não se pôr em riscos e para identificar quando não lhe fornecerem proteção adequada!

  • Treinamento: deve se dedicar ao treinamento e refazer o curso no máximo a cada 2 anos ou quando houver atualizações ou mudanças na norma NR-35. Além disso, ele deve colaborar com o empregador na implementação das medidas necessárias;
  • Conscientização: sempre cumprir as disposições regulamentares e legais da norma, seguindo os procedimentos determinados pelo empregador. Devendo ainda zelar tanto por sua segurança, quanto a de terceiros em podem ser afetados por suas ações;
  • Direito de recusa: esse deve ser utilizado para interromper suas atividades sempre que houver evidência ou suspeita de riscos à saúde e segurança sua e de terceiros. Utilizando a comunicação assertiva e imediata para notificar seu superior a fim de serem tomadas as medidas necessárias para resolver a problemática em questão.

 

Quais Os Requisitos Mínimos E Medidas De Proteção Do Trabalho Em Altura?

Segundo uma pesquisa do Ministério do Trabalho e Emprego, o trabalho em altura representa 40% dos acidentes de trabalho no Brasil.

Entre essas fatalidades estão algumas das atividades realizadas na construção civil. Confira na lista abaixo os principais fatores de risco:

  • Queda de materiais armazenados em altura;
  • Desmontagem e montagem de plantas ou estruturas;
  • Andaimes e plataformas em obras e reformas;
  • Serviços realizados em escavações e poços;
  • Entre outras ações.

Requisito mínimo para trabalho em alturaAlguns desses acidentes podem afetar não apenas os empregadores, como também, pedestres e veículos próximos a região da construção civil.

Por isso, o trabalho em altura conta com algumas medidas que iremos verificar a seguir. Estas são feitas para minimizar os riscos oferecidos por essas atividades.

  1. Treinamento do trabalho em altura:

Para que um funcionário possa realizar o trabalho em altura ele precisa realizar e ser aprovado no treinamento que conta com conhecimentos práticos e teóricos.

Sua duração é de no mínimo 8 horas e é feito na modalidade presencial. Em qualquer curso, é obrigatório que sejam abordados os seguintes assuntos:

  • Regulamentos e normas;
  • Análise de risco;
  • Condições de impedimento da atividade;
  • Riscos em potencial;
  • Medidas de controle e prevenção;
  • Equipamentos de proteção individual;
  • Equipamentos de proteção coletiva;
  • Acidentes mais frequentes;
  • Conduta em casos de emergência;
  • Noções de primeiros socorros;
  • Técnicas de resgate.

A cada 2 anos o treinamento deve ser novamente realizado pelo empregador ou sempre que houver atualizações nas normas ou:

  • Mudança na empresa encarregada;
  • Trabalhador afastado por mais de 90 dias.
  1. Análise de risco e permissão de trabalho:

O trabalho em altura é uma atividade que necessita de uma análise de risco prévia com autorização de permissão de trabalho.

Para que seja possível obtê-la, a avaliação deve ser feita antes do início do trabalho. Sendo analisado os riscos naturais e:

  • Risco de queda das ferramentas e materiais;
  • Ponto de ancoragem;
  • Estabelecimento dos sistemas;
  • Possíveis condições meteorológicas;
  • Sinalização e isolamento da área de trabalho;
  • Local e o entorno onde serão executadas tais atividades.

Já a permissão deve conter a lista com nome dos envolvidos e suas autorizações. Além dos requisitos mínimos, medidas e disposições definidas na análise de risco.

 

Conclusão

Neste artigo, vimos como funciona a norma NR-35 para o trabalho em altura e os requisitos mínimos que:

  • Minimizam acidentes e fatalidades;
  • Garantem qualidade de vida e segurança.

Além daqueles aqui mencionados, essa norma ainda regulamenta o uso de EPIs, EPCs e tipos de equipamentos e estruturas a serem usadas na construção civil!

Este artigo foi útil para você? Deixe sua dúvida ou opinião nos comentários e compartilhe com aqueles envolvidos nessa atividade.

DEIXAR RESPOSTA

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *